Depois de dois anos de casada eu descobri uma tara do meu esposo…

Página inicial » Contos Eróticos » Depois de dois anos de casada eu descobri uma tara do meu esposo…

Eu descobri uma tara do meu esposo – Conto Erótico

Sempre fui muito fogosa, sempre escolhi a dedo meus parceiros e as minhas transas… até que me apaixonei perdidamente por um homem (meu esposo ) que além de ser um homem maravilhoso em questão de caráter e qualidades, na cama é tudo o que eu mais gosto… fogoso, gostoso, vigoroso e bom de foda… fora o fato de ser pauzudo, rsrsrs…

Pois bem… dia desses ele me surpreendeu de uma forma que eu fiquei assustada, contudo, extremamente excitada…

Era um domingo a noite, estávamos na cama depois de mais uma das nossas maravilhosas transas, onde estávamos aqui suados e ofegantes, conversando cochichado meio que roucos de tanto gemer… onde ele disse:

– Tu gostou daquele filme ontem, amor?

– Daquele filme de putaria?(eu)

– Sim… do troca troca de casal…

– Sim… excitante… (eu)

… me responde uma coisa…

– Fala, paixão… (eu)

– Tu já te imaginou numa situação daquelas?

– O quê? Numa troca de casal? Ah, amor, claro que não, né? rsrsr, nossa, tô te estranhando fazer uma pergunta dessas, eu, hein…(eu)

– Tu ficaria com ciúmes de mim, ao me ver com transando com outra? Mesmo eu deixando outro de comer?…

– aaii, amoorr… que perguuntaarr… caralho, tá louco? Que é que te deeu? (eu)

– Amor… a gente é bem fogoso na cama… tu já se vestiu de um monte de personagens pra mim e eu pra ti… a gente já fez de tudo… nossa mente é aberta… mas, tipo assim: eu não tô falando que quero fazer troca de casal contigo… relaxa… mas… eu tenho pensado em uma coisa…

– No quê? (eu)

– Eu queria assistir…

– Hã? Como assim, amor? (eu)

– Eu queria que tu topasse da gente ter uma relação aberta… o que tu acha?

– Hã? Como assim? Trazer outras pessoas pra nossa cama? Tá maluco, amor? (eu)

– Na verdade, eu não faço tanta questão de ter outra mulher na cama junto contigo… mas se tu quisesse ter um outro cara, pra eu assistir ele te comendo…eu toparia de boa…

– Nossa, amoorr, tu tá falando sério? (eu)

– Sim… Tu quer tentar, só pra provar?

– Meu deus… aaii, amor… que é que deu? Tu tá tirando da minha cara, né? Para a palhaçada, vai… Tu não tem ciúmes de mim não?… (eu)

– Meu amor, eu nunca fui machista e tão pouco insensível, sempre te amei e te tratei bem, a gente tem uma relação maravilhosa… mas isso aqui que eu tô te confessando, é apenas uma tara que eu tinha e que eu tô tendo coragem de te falar agora… mas olha, isso não quer dizer que todo dia eu queira ver um cara te comendo… nada disso, você é minha, te amo… mas é que me dá tesão imaginar um estranho te comendo… você entende, né?

– Caralho… olha, amor… eu entendo, mas… nunca se quer passou pela minha cabeça que isso fosse rolar com a gente, com o meu marido… nunca nem rolou com amiga minha… só vejo pessoas que fazem isso em filme… tô sem reação aqui… te juro, nem sei o que falo… tá parecendo que tu tá me zoando… (eu)

Nisso ele se ergueu da cama, se sentou e me chamou pra sentar diante dele, frente a frente… onde ele acariciou meu rosto e disse:

– rsrsr, amor, relaxa… eu te amo muito, meu amor, te quero pro resto da minha vida… só que,  quanto mais eu penso nesse fetiche, mais vontade tá me dando de realizar logo… às vezes que eu saio contigo e flagro um carinha estranho qualquer olhando pra tua bunda, pro teu corpo… eu não sinto ciúmes, na verdade eu me excito com o tipo de pensamento que ele tá tendo contigo… No começo da nossa relação eu nem imaginava tanto isso, mas de um tempo pra cá, eu venho meio que imaginando mais…

– Ai, amor, tô assustada já… (eu)

– Calma, calma… eu sei que você pode me achar maluco… mas eu sei que você tem uma mente aberta… e eu só tô te confessando uma tara minha. não é algo que eu queira que você faça todo dia pra me satisfazer, nada disso… é só uma tara que eu quero provar… por favor, não pense que eu não te ame por causa disso, ok?… só é algo que mexe comigo, que me excita, que me deixa com muita vontade de ver como seria…

– Nossa, amor… uau… eu nunca pensei em escutar uma coisa dessas de ti… (eu)

– Mas… e aí, quer pelo menos pensar em uma hora fazer?

– Tu já fez isso com alguma garota antes de casar comigo? (eu)

– Não… antes eu já tinha transado com duas mulheres ao mesmo tempo, mas dividir uma mulher com outro cara jamais… Mas essa vontade nasceu com você, meu amor… só com você…

– Nossa, tu é um pervertido, amor, sabia? (eu)

Aqui ele gargalhou enquanto me abraçava, e falava:

– kkkkkkkkk, não, amoorr… eu gosto de sexo com você… quero provar de tudo sem preconceitos… quero que você também sinta prazer… mas esse desejo, esse fetiche, eu quero muito realizar… Faz isso por mim, faz?

Eu fiquei aqui sentada diante dele, de braços cruzados e encarando ele meio que de cara fechada…

O certo é que ele me deu uns dias pra pensar a respeito sem me dar pressão nenhuma, sendo que eu pedi a ele que não trouxesse pra nossa casa nenhum cara pra me comer sem a minha permissão, pois eu queria pensar bem e me acostumar com a ideia, caso eu aceitasse, claro… até assisti a uns vídeos pornôs de ménges com uma mulher e dois homens e li muito em sites a respeito, enfim, eu colhi todo tipo de informação… claro que eu não era tão desinformada quanto a essa forma de sexo, mas é que foi o meu esposo quem pediu, o meu marido, o cara com quem eu casei… lógico que eu estava assustada com isso… sendo que quando eu era solteira, eu jamais fui pra cama com dois ou mais ao mesmo tempo, fui muito fogosa e fodedeira, mas sempre um de cada vez…

Lembro que certo dia, numa sexta a noite, ele chegou do trabalho, e no quarto, enquanto eu ajudava a ele tirar a gravata, frente a frente, eu disse meio baixinho: “Eu aceito…” Ele abriu um sorrisão, me abraçando ao meio, me erguendo do chão enquanto girava e me beijava… e falava: “aaiii, amoorr, que tesão… como você é maravilhoosaarr… brigada, brigada, brigaadaarr…” Caralho, nunca vi um cara ficar tão feliz em saber que a esposa ia entrar na pica de um outro cara…

Sendo assim, minutos depois do jantar, estávamos os dois aqui na cama, juntinhos, espiando no tablete uns endereços de sites de acompanhantes… vendo o perfil e as fotos de uns garotos de programa… e ele me ajudando a escolher… Nossa, eu mal acreditava nisso, meu esposo me ajudando a escolher um puto pra me comer… onde falávamos enquanto escolhíamos

– Esse aqui, ó?

– hmmrr, muito feio… (eu)

– E esse?

– Tem as orelhas grandes, eu não iria me concentrar na foda… (eu)

– Esse negão aqui?

– Carambaa… meu primeiro homem numa ménage e tu já quer me arrombar toda? Olha o tamanho da benga desse negão, amoorr? Tem dó de mim, né? (eu)

– kkkkkk, desculpa… e esse aqui?

– Cara de pirralho, não me atrai… (eu)

– E esse?

– Amor… deixa eu escolher, tá? (eu)

– Ok, ok… eu vou pra sala, vou assistir o jogo do Palmeiras, se tu se decidir me fala, tá?

– Tá bem… tarado… (eu)

Na verdade eu procurei o meu futuro comedor em três sites e mesmo assim não consegui escolher nenhum… pois nenhum me agradou por vários motivos…Na verdade, o homem que eu queria pra me comer eu já tinha aqui, era o meu esposo, mas como ele queria realizar um desejo e fetiche dele, eu tive que escolher… e não foi fácil… Sendo que eu fui até ele na sala e falei:

– Amor, não deu não, tá?… são tudo um bando de estranho pra mim, nenhum me agradou não… desculpa…outro dia eu escolho…

Ele sempre foi um esposo compreensível, e nessa noite foi mais ainda e não me pôs pressão nenhuma… na verdade os dias foram passando e ele não tocou mais no assunto, e eu aproveitei pra deixar ele esquecer…

Contudo, certo dia, no final da tarde, tanto ele como eu estávamos voltando do trabalho e fomos ao supermercado, aliás, lotado, onde ele empurrava um carrinho cheio de compras enquanto eu escolhia os produtos entre prateleiras… e nisso um, um rapaz que trabalhava aqui como estoquista, estava repondo produtos, bem perto de mim, e eu me aproximei dele apenas para pedir informação sobre o preço certo de algo que eu tinha na mão, e ele chegou junto de mim, falando comigo, ele era alto, forte, uns 20 e poucos anos, voz rouca, cara de macho viril, braços fortes, peitoral definido e cheiroso… eu agradeci a ele pela informação e ele se afastou de mim, voltando ao seu trabalho ali ao lado na prateleira… fiquei então olhando meio que de canto de olho pra esse rapaz, funcionário do supermercado… e ele olhando pra mim, disfarçando, pois ele sabia que eu estava acompanhada… quando então meu marido me notou de olhar distraído, e falou:

– Amor, tá escutando o que eu tô te falando?

– Hã? O quê? (eu)

– Tá distraída? Tô aqui falando faz horas e tu nem nota…

Foi quando eu cheguei bem junto do meu marido e disse quase no ouvido dele:

– Ainda quer aquilo? (eu)

– Claro… por que?

– Eu quero ele… (eu, apontando sutilmente pro estoquista do supermercado)

Duas horas e meia depois, já em casa, a campainha da nossa porta tocou… e eu fui atender, só de camisolinha em seda e nada por baixo… era o estoquista, o rapaz funcionário do supermercado, ainda de farda, e eu cumprimentando ele com dois beijos, um de cada lado do seu rosto e o convidando para entrar… ele meio desconfiado, mas gostando de me ver assim tão a vontade e sexy… onde logo que ele entrou, o meu esposo veio em nossa direção, cumprimentou ele num aperto de mãos e disse: “Relaxa, velho… fica a vontade…” E ele, desconfiado, com um riso estranho no rosto, disse: “Beleza…”

Na verdade, depois que eu escolhi ele, ainda no supermercado, eu fui falar com ele e trocamos o contato, onde eu conversei com ele num cantinho e expliquei que eu era casada e que o meu marido gostava de me ver sendo comida por outro… perguntando então a ele se ele não gostaria de vir em minha casa logo mais, quando ele terminasse o trabalho dele, pra me comer bem gostoso e do jeito que ele quisesse… e ele, claro, de cara ficou assustado, mas aceitou, mesmo que desconfiado, pois sou bonita e gostosa e ele não recusou…

E aqui já estávamos no quarto, meu esposo só de short e sentado num sofá de frente a cama, e eu meio sem jeito, mas excitada com o clima, em pé diante do rapaz, e assim fui começando a rebolar meio corpo de camisola numa dança sem música e encarando ele maliciosamente, pegando na camisa de farda dele e a tirando de dentro da sua calça em linho preta, desafivelando seu cinto e puxando… e ele debruçando o rosto dele em mim e me cheirando o pescoço, me beijando e eu me saindo dele, rindo, provocando ele… me virando de costas pra ele e rebolando ao tempo em que eu erguia a minha camisolinha atrás, expondo minha bunda e ele louco de tesão, olhando pro meu marido e pra mim, pondo as mãos e eu tirando a bunda das mãos dele… falando: “Na bunda agora não, apressadinho…” E ele: “Você gosta na bunda?” E eu: “Na bundinha só me comer toda e bem gostoso…” E o meu marido, se punhetando de  leve: “O cuzinho da minha esposa é uma delícia mesmo, te garanto… mas primeiro dá um trato no corpo dela todinho, vai, seu filho da mãe…”

Ele veio pra mim, me pegando por trás, nós dois em pé, eu de bunda encostada na virilha dele… e ele louco, me encoxando por trás e me chamando de gostosa enquanto me chupava o lado direito do meu pescoço e lambendo minha orelhinha, com as mãos dele me alisando os ombros, deslizando as mãos em minhas costelas de um lado ao outro, por cima da minha camisolinha, descendo as mãos em minha cintura… pegando na minha bunda diante da minha camisolinha se erguendo e deixando exposta minhas nádegas sem calcinha… e o meu esposo ali sentado de frente ao lado da cama, espiando, lambendo os lábios e de pau pra fora do seu short, se punhetando e falando: “Fica nua pra ele, amoorr… mostra pra ele como tu é gostosa, mostraarr…”

Eu peguei nas pontas da minha camisolinha e a tirei por cima, jogando ao chão, e o rapaz me chamando de gostosa, admirado com o meu corpo cheio de curvas e recheios… e eu meio girando enquanto rebolava e exibia pra ele meus peitões fartos, minha buceta carequinha inchada e a minha bunda gostosa… falando: “Promete me comer bem gostooso, seu safado, proomeetiirr?” E ele, já desabotoando a sua braguilha e tirando os sapatos; “Vim aqui pra isso, gata… não se preocupe… é rola o que você quer… então eu vou te dar…”

Eu coloquei minhas mãos nas mãos dele e evitei dele tirar a calça, pois eu quem queria ter esse prazer, afinal, seria a minha primeira rola depois de casada, e a minha primeira na frente do meu esposo… e com ele só de calça em linho preta, eu me sentei nua e de pernas abertas na beirada da cama, com ele em pé diante de mim… e eu aqui coloquei minhas mãos no cós da calça dele, abri e desci o zíper… descendo a calça dele, deixando ele só de sunga… na qual meus olhos admiraram o volumoso chumaço na sua sunga, assim coloquei minhas mãos nas laterais dessa sua sunga e fui abaixando… fazendo o pau dele saltar pra fora…

Nossa, que delícia… e estava bem duro, era grosso e da cabeçona, de 18 a 20 cm por aí…

E o meu esposo de pau pra fora do short dele, tocando uma e falando: “Gostou da rola dele, amoorr?” E eu, segurando firme o pau dele e alisando, punhetando de leve, disse; “Siimmrr… noossa, amoorr, que tesão…”

Meu marido se levantou de onde estava e sentou bem ao meu lado na cama, para ver bem de pertinho eu segurando o pau de um outro homem, e disse pra mim em tom sussurrado, arfando e quase que sussurrando de tão ofegante: “Põe a boquinha na cabeça dessa rola, cooloca, amoorr…”

Nossa, ele estava mesmo muito excitado, eu estava excitada por ver meu esposo excitado por me ver segurando o pau de um outro cara… sério, meu coração estava acelerado, minha pele toda arrepiada e minha buceta tremendo horrores de tesão… olhei pra cabeça do pau dele e caí de boca… mamando, chupando, chupando… e o rapaz gemendo como se estivesse gozando, sendo que enquanto eu boqueteava a cabeça da rola dele, eu sentia não somente a dureza do pau dele como os latejos pulsando na minha palma direita… e que delícia de rola… minha primeira rola depois de casada… e o meu esposo ao meu ladinho, olhando sem piscar, chegando a lamber os lábios e falando: “iisso, amoorr, iissoorr, chupa gostooso, chuupaarr… chupa que nem tu chupa a minha rola, vaaiimmrr… assimmrr, iissoorr… aaiii que deliiiciiaarr… aaiii amoorr, que coisa mais gostoosa te ver de boquinha numa roolaarr… mmmrrr…”

Aumentei a intensidade da chupada, os movimentos da minha cabeça em direção ao pau dele, chupando, chupando mais forte, mais forte, espremendo o macio falo inchado dele com meus delicados lábios, e ele já gemendo anunciando uma gozada: “rraaammrr…” Nossa… o safado me deu uma gozada tão forte na boca que me encheu toda de porra… sendo que o meu esposo me pediu: “Deixa eu ver, anda… abre a boca…” Eu abri e mostrei pro meu marido, e ele, batendo forte uma punheta e quase gozando… falando; “Senta no pau dele, vaaiimmrr… fode ele, foodiirr..”

Ele deitou de costas e de pau pra cima na cama, caralho, ele estava ansioso, arfando, olhando pra mim subindo na cama e indo em direção a ele, onde ao lado dele fui montando por cima da sua virilha, dando uma encaixada de xana na cabeça da rola dele e assim sentei dando uma engolida no pau todinho… dei aquela sentada pra fazer o pau ficar bem aconchegado dentro da minha bucetona molhada e em seguida comecei a cavalgar, de mãos na barriga dele e ele se deliciando com os meus peitos chacoalhando pra cima e pra baixo enquanto minha bunda quicava nas coxas dele e a minha buceta fudia com o pau dele numa socada constante e cada vez mais empolgada, o meu esposo em pé meio que andando ao redor da cama para me ver cavalgando em todos os ângulos, sempre tocando punheta, de pau incrivelmente duro, e eu falando entre gemidos nessa cavalgada acelerada; “aaiimmrr, aaiimrr, aaiaiimmrr, aaii amoorr, aaii, amoor, que pau gostoosoorr, aaiii pau gostooso na minha buceetaarr, rraammrr, rraammrr, aaiii caralho, como é bom sentir outra roola me fudeendoorr, rraammr, rraammrr… não tô aguentaando, vô goozaaarrr, rraaammmrr…”

Desabei de cima dele, caindo ao lado, gemendo, em estado de orgasmo, e o meu esposo falando pro rapaz: “No meio das pernas dela, vaaii… come ela, mete rola na buceta dela, vaaii…”Ele veio afoito pra cima de mim, deitando em mim, me arreganhando com a virilha dele, me metendo rola na xana e já me comendo, socando pau sem tirar de dentro entre as minhas pernas arreganhadas pra ele: “aaiiirr, que deliiciiaarr… buceta gostoosa de meter roolaarr, rrmmrr…” E assim ele me bombava entre pernas numa empolgação descontrolada, me fudendo, me socando, me metendo rola e eu gemendo ao me abraçar a ale, puxando ele pra mim, de encontro ao meu corpo e gemendo de olhos revirados noutro gozo…

Meu marido evitou gozar durante todo o tempo em que a transa durou, sempre se punhetando e parando antes de gozar… porém longe de se saciar com o que os seus olhos viam, um outro macho mandando ver na sua esposa, eu… que aqui me acabava de gemer e gozar, levando surra após surra de rola desse moleque empolgado, tarado, louco…

E depois de tantas posições, meu esposo disse: “Na bunda, andaarr… eu quero ver minha esposa linda tomando na bunda, vaaiirr… Fica de quatro pra ele, amor, fiicaarr… quero ver a rola dele entrando no teu cu… quero ver se ele sabe te comer o rabo…”

Nossa, eu estava além de suada e de coração disparado, muito a fim de ir além dos meus limites… que tesão… e o meu esposo vendo a tudo isso me deixava mais louca e estimulada a continuar provando… e assim o rapaz, banhado de suor, mas ainda de pau muito duro, se punhetando enquanto eu me colocava toda de quatro pra ele no meio da cama, toda empinadinha e de bunda aberta que nem uma canhorra… de bucetão entre pernas bem molhado e inchado escorrendo melzinho dos gozos recém sentidos entre minhas coxas, e com o meu cuzão piscando pra ele, meio que chamado a rola dele… só que antes de meter o pau ele caiu de boca no meio do meu bundão, de cara, segurando minhas nádegas e enfiando a língua no meu cu bem fundo que eu gemi agoniada de tesão feito uma puta, me estremecendo toda ao sentir a língua dele se movendo dentro, me socando, me fudendo, fudendo… e quanto eu aqui estava já querendo que ele não mais tirasse a língua de dentro do meu cu, esse filho da puta fez o contrário, tirando de repente e não mais do que de repente e me deu uma empurrada de cabeça de rola no meu cu tão forte e violenta que eu gritei de dor, toda de quatro e arreganhada… e o meu marido não aguentando me ver aqui gritando de dor no cu diante dessa fincada de rola, acabou gozando… disparando porra em cima da cama e na minha direção, me melando as costas… e o rapaz de pau no meio da minha bunda, me puxando pelas minhas ancas de encontro a virilha seca dele espancando minhas nádegas enquanto me enrabava, socando, socando, socando, metendo pau no meu cu sem tirar de dentro, e eu toda agoniada de dor e tesão: “aaiii meu cuuurr, aaiii, filho da puuta, meu cuurr, meu cuurr, rraaarr, rraaarr, rraaarrr, aaii amoor, a rola desse porra tá arrombaando meu cuuurr, rraaarrr, rraaammrr. rraaammmrr… aaiii caraalhooorr, meu cuuurr… soca mais devaagaa, seu fiilho da puutaarr, rraammrr, rraaammrr…”

O mais agoniante além de estar sendo currada com violência no cu por esse rapaz empolgado atrás de mim, era ver e saber que o meu esposo estava delirando de tesão enquanto assistia e batia uma punheta com força… falando: “Gooza, filho da puuta, goza no cu da minha esposa gostoosa, goozaarr, goozaarr, goozaarr, mete maais, mete maaiis, mete com força, iissoorr, iissoor, não paaararr, não paaraarr, iissoor, issoorr, enche o cu dela de poorra, eenchiirr, iissoorr, assiimmrr… mmmrrr…”

Ele gozou noutra punheta enquanto o safado atrás de mim deu uma gozada bem dentro do meu castigado e arrombado cu… parando de uma vez, esgotado de esforço e banhado de suor, comigo desabando de bruços na cama e com ele deitando nas minhas costas, ainda de virilha colada na minha bunda suada enquanto eu ainda sentia a dureza do pau dele latejando todo socado no meu cuzinho ardendo…

Bom… somente o final dessa transa meio que fugiu do controle de todos nós, onde meu cu foi mesmo arrombado e eu tive que ficar uma semana sem anal… tirando isso, eu posso dizer com toda a certeza que eu me realizei muito ao dar pra outro cara na presença do meu esposo… que por sua vez, também delirou de tesão… realizou-se… chegando inclusive a me beijar e emocionado e a falar que eu era a melhor mulher do mundo…

Tocamos nossa vida à dois sem pensar em outra foda assim, mas confesso que sempre quando estou com ele, com meu esposo, em algum lugar movimentado, ele não esconde a sua excitação ao flagrar algum cara me comendo por pensamento.

                 FIM!!

Gente, é o seguinte, me chamo Luciana, e esse relato aqui é de um casal anônimo do Rio de Janeiro… enviado pro meu site: apartamento69 – Relatos Eróticos Femininos … e que estou aqui compartilhando apenas neste site aqui para vocês, mas caso vocês queiram ler outros relatos picantes de leitoras, convido vocês a visitar meu site, o link é: http://contosdeliciosos.esy.es/

Espero que se divirtam lendo… e obrigada Lana pelo espaço aqui, bjs!!

Que tal dar umas espiadinhas em mais contos quentes ? Logo abaixo relacionados os melhores vídeos para você aproveita bastante. Seja feliz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Faça parte da comunidade. Crie sua conta grátis
    Troque mensagens, troque fotos e muitos mais com outros membros.